sábado, 19 de fevereiro de 2011

Pe. Osvaldo Magalhães Carneiro Chaves, 1957 a 1959 - Cooperador

Nasceu aos 21 de outubro de 1923, no sítio Angelim, distrito de Sambaíba, município da Granja

Filho primogênito de Manuel Chaves Fernandes e Maria Carneiro Chaves, casados a 30 de novembro de 1922. Recebeu o santo Batismo aos 25/12/1923, no Parazinho por Monsenhor Vicente Martins da Costa. Seus padrinhos foram: Raimundo Chaves e Angélica Carneiro Magalhães.

Em abril de 1924, é acometido de poliomielite com atrofia da perna esquerda. Em 1929, aprende o alfabeto e a soletrar a Carta do ABC, com sua mãe. Em junho de 1933, lê "Coração" de Edmundo de Amicis, despertando-lhe o gosto pelas belas-artes. Já em 1935, passa mais a ler do que simplesmente a consultar o "Dicionário Prático Ilustrado", de Jaime de Séguier. Em 1939, matricula-se no Ginásio Lívio Barreto, da Granja, cujo epônimo, poeta da terra, desperta-lhe o gosto pela poesia. 1940 - 8 de fevereiro ingressa no Seminário Menor de Sobral. Em 1941, o Pe. Antônio Tomás dedica-lhe o soneto "Desencanto", em resposta a um outro que lhe fora dedicado pelo esperançoso seminarista. 1942 - aprimora os estudos de língua vernácula e literatura, lendo os poetas e clássicos. Traduz poemas franceses e éclogas de Virgílio. Reúne seus poemas em forma de livro, o que deu o título de "Heliotrópicos", que não foi publicado. O poeta que mais influência exerceu sobre suas criações, foi Cassiano Ricardo. Fevereiro de 1946 matricula-se no curso de Filosofia do Seminário Maior de Fortaleza. Em 1948, inicia Teologia, no mesmo Seminário. Na Catedral de Sobral, aos 8 de dezembro de 1951, é ordenado sacerdote por Dom José Tubinambá da Frota. Primeira Missa solene em Parazinho, distrito de Granja em 16/12/1951.

Atividades: inicia em 1952, o magistério no Seminário de Sobral, como professor de Português, Francês e Música. Fui seu aluno de Música. Em 1955, participa em Fortaleza, do curso de aperfeiçoamento em Francês com o professor Lucien Brosse. Exerceu as funções de Vigário Cooperador em Crateús, Acaraú (' São Benedito. Na segunda leciona Latim e Inglês, na terceira, Pedagogia, Latim e Francês. Em junho de 1960, passa a residir em Sobral. Leciona no Seminário, Português, Latim e Grego.

Na Faculdade de Filosofia Dom José, Português e Literatura Luso-brasileira. Isto durante treze anos. Em 1969, freqüenta curso de aperfeiçoamento em Língua Portuguesa, na Universidade Federal do Ceará. Em 1971, concluiu a Licenciatura em Filosofia Pura, na Universidade Federal do Piauí. Em 1984, relê os clássicos latinos no original: Virgílio, Horácio, Ovídio e Cícero. Em 1985, publica suas poesias, em livro intitulado "Exíguas". Entrando no Seminário d Sobral, em fevereiro de 1944, fui seu contemporâneo 2 anos. E no Seminário Maior. Para todos era um colega amável, jocoso e muito interessante. Quando recitava suas poesias, revelava um talento extraordinário. Desde janeiro de 1981 até hoje, trabalha na Santa Casa de Misericórdia e no Hospital do Coração, em Sobral, na Pastoral Hospitalar.

Deixa para nós, o seu pensamento pessoal: "Vejo no meu sacerdócio, o chão e o clima da salvação que o Bom Jesus plantou" - Pe. Osvaldo Chaves, Sobral 15/01/2001.

Fonte: Ungidos do Senhor na Evangelização do Ceará- Pe. Aureliano Silveira

Em Acaraú quando encontrava uma pessoa errada dizia-se; "Mais direito que o Padre Osvaldo", devido se dizer que ele quando Padre Cooperador aqui era homem integro.(nota Totó Rios)

Um comentário:

Blogue Granja Ceará disse...

Prezado

Sou Lira Dutra, cidade Granja-CE. Aqui estou pesquisando na web materias sobre pe. Osvaldo Chaves. Encontrei seu blog.

Você permite que use post do blog trabalho com alunos?

Obg.